Entendendo a Santa Missa IV – Rito Sacramental (Liturgia Eucarística)

Queridos irmãos a paz do Senhor!

Hoje damos sequência a nossa série sobre a Santa Missa! Falaremos então sobre o Rito Sacramental, também conhecido como Liturgia Eucarística. Não deixem de ler, comentar, divulgar!

Na próxima sexta tem mais, não percam…

Equipe Doutrina Católica

RITO SACRAMENTAL

(LITURGIA EUCARÍSTICA)

Doutrina Católica.

A liturgia eucarística divide-se em apresentação das oferendas, oração eucarística e rito da comunhão, sendo que cada uma dessas partes pode ser subdividida:

Oferendas

Canto/Procissão das Oferendas, Orai Irmãos e Irmãs, e Oração Sobre as Oferendas;

            A apresentação das oferendas ou ofertório é a apresentação dos dons que serão ofertados junto com o Cristo. Durante o canto, acontecem diversas coisas que muitas vezes são despercebidas, como a oferta de pão, vinho (ou uva representando o vinho) e água que representa a humanidade transformada, diluída na santidade de Cristo, uma vez que  são misturadas gotas de água no vinho.

            Há também a preparação do altar com o corporal, o purificatório, o cálice e o missal, assim como a apresentação das oferendas a Deus, sendo que este momento não é percebido por todos devido ao canto do ofertório. Simultaneamente há a coleta do ofertório, doações em dinheiro para que a Igreja possa se manter, uma vez que as comunidades não são empresas e não possuem lucros. Paralelamente o sacerdote lava as mãos, em sinal de purificação para celebrar dignamente a Eucaristia, sendo que antigamente isto ocorria pois as ofertas eram de produtos do campo e portanto se fazia necessário lavar as mãos.

Com o “Orai irmãos e irmãs…” o sacerdote convida a todos para se unirem em oração, para que o sacrifício de Cristo seja aceito por Deus Pai, e a assembléia responde “Receba ó Senhor por tuas mãos este sacrifício, para a glória do seu Nome, para o nosso bem e de toda santa Igreja”. Na seqüência com a oração sobre as oferendas há a reunião de todos os motivos da ação de graças, culminando com a Oração Eucarística.

Oração Eucarística

Prefácio, Santo, Consagração e Louvor Final;

Segundo o Missal Romano a oração eucarística é:

[…] o centro e ápice de toda celebração, é prece de ação de graças e santificação. O sacerdote convida o povo a elevar os corações ao Senhor na oração e na ação de graças e o associa à prece que dirige a Deus Pai por Jesus Cristo em nome de toda comunidade. O sentido desta oração é que toda a assembléia se una com Cristo na proclamação das maravilhas de Deus e na oblação do sacrifício (IGMR 54).

                 O prefácio possui a função de introduzir a assembléia na grande ação de graças que se dará na seqüência, existindo prefácios abordando diversos aspectos  como a vida dos santos, Nossa Senhora, Páscoa etc. O Santo é uma grande aclamação a Deus Pai por meio de Jesus Cristo, pode ser cantado ou rezado, porém deve-se manter a maior fidelidade possível a letra original da oração: “Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do universo, o céu e a terra proclamam a vossa glória, Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor, Hosana nas alturas!”

            Há a invocação do Espírito Santo, pois é através de sua ação que pão e vinho são transformados no corpo e sangue do Salvador. Na seqüência há o momento da consagração que deve ser todo acompanhado pela assembléia, por aqueles que puderem, de joelhos, porém não de cabeça baixa, mas contemplando o mistério de amor, a presença real de Cristo em nosso meio. Há também as preces e intercessões, uma vez que reconhecida a ação do Espírito Santo, para que Ele possa agir na vida de todos.

A doxologia final é como um resumo de toda a oração eucarística, na qual o sacerdote com o Corpo e Sangue de Cristo nas mãos glorifica o Pai e toda a assembléia responde com um forte “amém”.

Comunhão

 Pai Nosso, Abraço da Paz, Cordeiro de Deus, Canto/Distribuição da Comunhão, Interiorização, Antífona da Comunhão e Oração após a Comunhão.

            A oração do Pai-Nosso é o encerramento natural da oração eucarística, sendo que na Missa não se deve encerrar a oração com o amém, visto que a oração eucarística ainda não se encerrou.

            Há a oração pela paz, exclusiva do sacerdote, e convidados pelo sacerdote o cumprimento da paz, sendo que não há a necessidade de fazer um alvoroço saindo todos do lugar para se cumprimentar e abraçar, esquecendo-se que o grande motivo da alegria está sob o altar, por este motivo o canto de paz deve ser curto, para que o momento seja curto. Isto, pois se faz necessário para que seja entoado o canto do Cordeiro de Deus e o rito prossiga.

Então o padre apresenta o corpo de Cristo e seu sangue, representado a união de Jesus presente inteiramente sob as duas espécies, dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo!” e a assembléia responde “Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma só palavra e serei salvo.”

Após este momento há a distribuição da comunhão, na qual os fiéis se dirigem para o Altar para receber o corpo e sangue de Cristo. A comunhão atualmente é recebida nas mãos das pessoas, sendo a própria pessoa quem a leva a boca, porém antigamente a comunhão era recebida diretamente na boca e de joelhos, sendo que esporadicamente ainda se vê tal ato. Atualmente como a comunhão se dá diretamente nas mãos, as pessoas devem estar atentas a não perder nenhum fragmento da Santa Eucaristia, na qual Jesus está presente por inteiro. Após o momento da comunhão se faz oportuno um canto de ação de graças, que faça sentido com o que acabou de ser feito, a comunhão íntima com Jesus Cristo, sendo que também se faz pertinente o profundo silêncio, momento de adoração sincera ao Cristo que se entrega a nós por inteiro.

Após este momento há a oração após a comunhão, sendo o fechamento da liturgia eucarística.

Sobre Doutrina Católica

O Doutrina Católica é um espaço mantido por fiéis leigos da Santa Igreja Católica. Estamos cansados de tantos ataques externos e tanto desconhecimento também dos próprios católicos, por isso nossa intenção com o blog é divulgar e defender a Igreja Católica. Estamos abertos a discussão e a parcerias, ajude-nos a crescer!
Esse post foi publicado em Doutrina, Doutrina Católica, Entendendo a Missa, Santa Missa e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s