Sua opinião em destaque – Idolatria?

Bom dia pessoal!

Hoje em nossa coluna “Sua opinião em destaque”, trazemos o excelente comentário do Richard em nosso post sobre a idolatria (Clique aqui para ler o post).  Não deixem também de comentar, para que possamos dar sequência neste espaço!

In corde Iesu,

Leandro Nascimento

Blog Doutrina Católica.

__________________________________________________________________

“Dizem que a maior idolatria evangélica é a idolatria que eles fazem a Bíblia. Discordo parcialmente. Depois do dinheiro, para mim a maior idolatria evangélica é feita pelo crente a si mesmo. Explico. Uma das contestações de Lutero seria a infabilidade papal. Ou seja, o papa não deve ser tido como infalível na interpretação da Bíblia. O que ocorre com o evangélico ? Ele interpreta a Bíblia por conta própria e faz de si mestre de si mesmo. Tão logo contrariado a partir da leitura que fez, deixa uma denominação por outra. Por vezes funda uma nova denominação. Por isso se dividem, pois não há um evangélico que leia a Bíblia que admita opinião alheia. Ele que não aceita a infabilidade do papa, torna-se um Super Papa, admitindo apenas a sua interpretação e fazendo-se sábio aos seus próprios olhos torna-se “infalível” em matéria de fé e doutrina. Uns atacam os outros de hereges, pois todos pensam ter condições de intepretar as escrituras por si sós. A Bíblia não é adorada, mas apenas usada para que cada crente firme suas convicções pessoais. A adoração se faz a si próprio. É comum ouvir de um crente a expressão: “falta conhecimento bíblico ao fulano.” OU seja, só ele é que tem conhecimento bíblico para julgar todas as coisas. O crente é idolo de si mesmo. E na prática será salvo quem melhor interpretar a Bíblia. A Bíblia é usada para escolha de denominações, pastores e doutrinas que se pretende seguir. Na prática, o crente é salvo por méritos próprios. Tudo depende dele e não mais de Jesus. Tudo depende da leitura que ele faz da Bíblia. Jesus morreu na cruz, sofreu, padeceu e depois nos deixou por conta própria. E o interessante é que a Biblia não fala de si como a única fonte de revelação. Paulo manda que guardemos as tradições. A Bíblia proíbe ainda a interpretação privada(Pedro) e destaca a Igreja como coluna e sustentáculo da verdade(Timóteo). O crente faz tudo diferente do que a Bíblia ensina e ainda tem coragem de se dizer defensor da palavra de DEUS. Mas e o Espírito Santo ? Se o Espírito Santo auxiliasse de fato o crente na sua interpretação privada estaria contrariando o ensinamento da Bíblia a interpretação pessoal. E não teríamos milhares de doutrinas e denominações diferentes. Todos interpretariam de um mesmo jeito. Mesmo que o papa ou um pastor qualquer tivesse a maldade de interpretar propositalmente a Bíblia de forma errada para enganar o povo ou para proveito próprio, tão logo o cristão lesse a Bíblia contando com o auxílio do Espírito Santo, estaria isento de cometer erros e poderia perceber o engano. Por que Jesus instituiu a Igreja ? Por amor. Conhecendo o coração humano que é dúbio, vacilante, enganoso, vaidoso e orgulhoso, não pretendeu nos deixar por conta própria. E há uma enorme vantagem nisto. Se fosse possível a Igreja enganar-se, ainda poderíamos argumentar com Jesus que o erro não é nosso. Mas o que diremos a Jesus se recusarmos a Igreja e optarmos por nossa Interpretação privada que sistematicamente será equivocada ? Se assumimos a condição de intérpretes já não somos inocentes. Somos culpados pelos erros que cometemos e até mesmo pelas conversões que produzimos. Não entramos no reino e acabamos não deixando que outros entrem. Exatamente porque se julgam super papas, acabam se auto induzindo a erro. Como assim ? Sendo “bons” demais na interpretação da Bíblia, cada qual com a sua, acabam por não admitir que possam ser enganados. E quanto mais alto está o soberbo, mais feia a queda. Por isto mesmo são vítimas dos lobos vorazes. Mas não podem admitir que estão sendo enganados. São mestres e doutores em Bíblia. São estes mesmo super papas que achando-se bons demais dizem para si mesmo: “Eu me confessar para padre ? Eu me submeter a Roma ? Eu acatar o que o papa diz ? E depois irão dizer: Eu permanecer nesta denominação herética ? Eu me submeter a este pastor ? Eu vou fundar uma nova denominação para pregar o “evangelho puro”. Eu vou trocar de denominação e vou seguir uma igreja que pregue um “evangelho puro”. Como é possível a um super papa receber instrução e correção de qualquer tipo ?”

Sobre Doutrina Católica

O Doutrina Católica é um espaço mantido por fiéis leigos da Santa Igreja Católica. Estamos cansados de tantos ataques externos e tanto desconhecimento também dos próprios católicos, por isso nossa intenção com o blog é divulgar e defender a Igreja Católica. Estamos abertos a discussão e a parcerias, ajude-nos a crescer!
Esse post foi publicado em Apologia, Sua opinião em destaque e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s